Gato no sofá

No dia 8 de Agosto comemora-se o Dia Internacional do Gato.

Pelo menos para alguns!

Para outros é o dia 17 de Fevereiro.

Independentemente da versão, é um dia inteiro dedicado a um dos mais antigos e venerados animais de estimação.

Há quem diga que no mundo há mais de 500 milhões de gatos.
Confesso que não confirmei este número, mas basta olhar à nossa roda para nos apercebermos da quantidade destes felinos que existe no nosso círculo de amigos e família.

Para além de uma forte personalidade, o que torna a convivência com eles (ou elas) tão desafiante, o gato tem uma grande necessidade de independência, o que faz com que por vezes seja difícil por-lhe a vista em cima durante um período considerável de tempo.
Lembro-me, quando era miúdo, de ter um gato que se ausentava por vários dias, regressando sempre a casa cheio de “medalhas de bom comportamento”, como a minha avó lhes chamava.
Mas nada que uma boa sessão de carinhos e prolongado ronronar não pudesse perdoar!
Brincalhão por excelência, o gato é capaz de nos fazer perder completamente a noção do tempo com algo tão simples como um novelo de lã.
E quem nunca registou algum desses momentos em fotografia ou vídeo?

Noutro dia, tive acesso a um canal no Youtube sobre um gato chamado Maru que tinha mais de 20 milhões de visualizações!
Partilho aqui um dos vídeos mais recentes dessa verdadeira estrela japonesa na hora do chá:

E quem consegue resistir a um miar do género “sai desse sofá que é meu?”
Ou àquele ronronar na cama, para se ir apoderando lentamente do melhor lugar?
Só mesmo quem nunca teve um gato não entenderá as delícias deste tipo de convivência e cumplicidade…
Mesmo que o gato seja do tipo “mal humorado”, como o do vídeo seguinte!

Mas dos talentos que mais me entusiasmaram nos últimos tempos, foi conhecer um gato virtuoso do piano.
A sério!
É um projecto de um compositor e maestro Lituano chamado Mindaugas Piecaitis e da sua gata Nora, resultando numa verdadeira simbiose entre a sensibilidade felina e os sons mais eruditos de uma orquestra de câmara.
Mesmo que não queira ver os quase 5 minutos que a peça demora, será algo a que não conseguirá ficar certamente indiferente, pelo que vale a pena dar uma espreitadela:

Uma salva de palmas para os nossos (Vossos) gatos?